Postado em 24 fevereiro 2017

O Brasil tem um dos maiores índices de rotatividade no emprego, ou turnover, do mundo, situação que aumentou nos últimos anos. O tempo médio de permanência em uma empresa, que era de 64 meses em 2003, caiu para 50 meses em 2013. Em pequenos negócios, essa rotatividade é ainda maior: 35,9 meses (cerca de três anos), enquanto em médias e grandes empresas a permanência é de 75 meses (cerca de seis anos), de acordo com dados de 2015 do Sebrae.

turnoverO desligamento pode ser iniciativa de um funcionário em busca de melhores oportunidades de trabalho, o que pede uma reação por parte da empresa a fim de impedir que isso se repita, ou do próprio contratante, seja por motivos financeiros ou para melhorar o desenvolvimento das tarefas ao modificar o quadro pessoal. Seja qual for o caso, processos de contratação e desligamento são demorados e até custosos. Além disso, a admissão de novos colaboradores requer atenção, pois é preciso treiná-los, adaptá-los à cultura corporativa, e há um tempo de experiência e adequação no qual a produtividade ainda não chegou ao máximo. Enquanto todos esses processos acontecem, o faturamento da empresa pode ser prejudicado, o que é mais um ponto ruim do turnover.

Com estatísticas assim, é compreensível que muitos empresários procurem novas formas de reter seus colaboradores. Um dos principais objetivos do endomarketing, reiterado várias vezes nesta série de textos, é criar um sentimento de pertencimento e satisfação a fim de diminuir a rotatividade. Funcionários satisfeitos trabalham melhor, e têm mais vontade de continuar na empresa e de trabalhar em conjunto para alcançar os resultados comuns. Ações focadas nopesquisa ambiente interno podem resultar em uma mudança nessas estatísticas.

E, diferente do que muitos pensam, empresas pequenas – as que mais sofrem com o turnover – são um ótimo ambiente para ações de marketing interno. Há um mito de que é preferível executar campanhas em companhias grandes, mas nas menores pode ser ainda mais fácil, pois a proximidade é maior, é possível conseguir feedbacks mais sinceros e frequentes, há uma compreensão maior das necessidades dos funcionários, dentre outros benefícios.

feedback

Aplicando o endomarketing na sua empresa

Ações internas realizadas entre poucos funcionários podem ser mais práticas e efetivas, afinal tratar cada colaborador de forma individual melhora o ambiente da empresa e mostra mais valorização pelo trabalho de cada um. Além disso, com poucas pessoas, as ações são mais simples e podem ser mais baratas ou até sem custo algum. Veja alguns exemplos:

  • Fazer uma pesquisa de clima é mais simples e ela pode ficar mais detalhada, pois cada funcionário será escutado de forma individual. Ele não será um no meio de centenas – ele terá nome, sobrenome, e sua opinião se destacará muito mais.
  • Com menos funcionários, é mais fácil reunir toda a equipe em uma sala só, seja para discutir ações ou campanhas internas e externas, atividades da empresa e até problemas e situações de crise.
  • Com reuniões gerais mais frequentes é possível garantir uma integração maior, um sentimento de cumplicidade entre a equipe e até um senso de responsabilidade geral em relação à empresa.
  • Também é válido investir em tornar o ambiente de trabalho mais amigável, incentivando customizações por parte dos funcionários, áreas de descanso comum, murais de recados, e muito mais. Um ambiente criado de forma conjunta é melhor aproveitado e com certeza será melhor conservado.

Considerando todos estes pontos, com menos colaboradores é possível incentivar um diálogo muito mais direto e horizontal, o que facilita toda e qualquer ação de marketing interno. As possibilidades são muito variadas e com certeza é possível encontrar a que melhor se encaixa com a sua empresa.